Architecture News

AS ESCOLAS NACIONAIS DE ARTE DE HAVANA, Cuba retorna à Trienal de Milão

Projeto de escola de balé Vittorio Garatti foto por Lorenzo Carmellini 1961-1964
Escola de Ballet, projeto de Vittorio Garatti (foto de Lorenzo Carmellini, 1964)
AS ESCOLAS NACIONAIS DE ARTE DE HAVANA, Cuba retorna à Trienal de Milão Foi alterado: 2019-03-06 di Bento Flores

Passados ​​50 anos da última participação (Trienal XIV-1968) e por ocasião do 500º aniversário da fundação da cidade de Havana (San Cristóbal de La Habana - 1519), Cuba volta a Triennale di Milano para a XXII Exposição Internacional, intitulada "Natureza Quebrada: O Design Assume a Sobrevivência Humana". 

Como parte da mostra, que questiona o papel do design na difícil relação entre o homem e a natureza, o Pavilhão Cubano oferece a extraordinária experiência das Escolas Nacionais de Arte de Havana. É um complexo nascido do desejo preciso de Fidel Castro e Che Guevara de que Cuba ofereça o ensino das artes aos jovens cubanos e de todos os países em desenvolvimento. As Escolas são exemplos não convencionais de arquitetura orgânica que estabelecem uma relação de troca mútua com a natureza tropical que as rodeia. Apesar das dificuldades e da inevitável transformação que as estruturas sofreram ao longo do tempo, ainda são um local fértil e repleto de estímulos à criatividade e ao nascimento de novos talentos.

Para contar o passado, o presente e o futuro das Escolas Nacionais de Arte de Havana, o curador do Pavilhão Jorge FerFernández Torres, em colaboração com um grande grupo de trabalho, utilizou materiais inéditos feitos pelos mesmos alunos e professores do ISA (Universidad de las Artes). É uma evocativa série de imagens e vídeos que extrapolam os limites da iconografia histórica / arquitetônica clássica, documentando os resultados de um processo exemplar e ainda vivo de integração e contaminação cultural de dentro para fora. 

O interesse da exposição também está ligado à contribuição italiana, tanto ao nascimento das Escolas de Arte quanto à atividade em curso para seu relançamento. Os italianos Roberto Gottardi e Vittorio Garatti também trabalharam no projeto dos cinco diferentes prédios - projetados e construídos entre 1961 e 1965 - junto com o arquiteto cubano Ricardo Porro.

dividindo os projetos (Escola de Artes Plásticas e Música para Ricardo Porro, Ballet e Dança Contemporânea para Vittorio Garatti e Arte Dramática para Roberto Gottardi). Em um ambiente de total liberdade criativa, os três jovens arquitetos projetaram edifícios que encarnam a essência da “cubanidade”, cada um mantendo uma marca pessoal. O seu contributo foi fundamental para o desenvolvimento de um complexo de grande encanto e originalidade, mas também capaz de resistir aos estragos do tempo, deixando em aberto a perspectiva de novas intervenções de restauro e conclusão - apenas dois dos cinco edifícios foram concluídos na altura.

A exposição na XXII Triennale di Milano é, portanto, uma oportunidade para apresentar dois projetos italianos recentes que tratam da revitalização do complexo de Escolas de Arte, incluídos na Lista de Vigilância do Fundo do Monumento Mundial (2000) e na Lista Provisória do Patrimônio Mundial da UNESCO (2003).  O primeiro tem como objeto a elaboração de um Plano de Conservação e Gestão de todo o complexo. O projeto é coordenado pelo Politécnico de Milão, com a Universidade de Princeton, a Universidade de Parma, Assorestauro e o Comitê Vittorio Garatti e financiado pela Fundação Getty como parte do programa Mantendo-o Moderno.

O segundo, financiado pela AICS (Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento) da MAECI (Ministério das Relações Exteriores e cooperação internacional) prevê a restauração, consolidação estrutural e re-funcionalização da Escola de Teatro Roberto Gottardi, com a assessoria técnica do Departamento DiDA da Universidade de Florença.

O pavilhão de Cuba na XXII Triennale di Milano é uma expressão do Ministério de Cultura de Cuba / Consejo Nacional Artes Plásticas através do Comissária Norma Rodríguez Derivet.

Il curador é Jorge FerFernández Torres Diretor do Museu Nacional de Belas Artes de Cuba e co-curadores Christian Zecchin e Umberto Zanetti. A exposição é patrocinado porEmbajada de Cuba em Roma ea partir Consulado de Cuba em Milán.

Também recomendamos

responder