visual

Volumes: Água

volumes de água
Volumes: Água Foi alterado: 2015-03-26 di anna raramente

O tema da água e sustentabilidade são centrais neste 2015 da Expo "Alimentar o Planeta". Mesmo Maniva queria contribuir nessa direção, apoiando a criação do artista Matteo Peretti volumes intitulados: Água.

Instalação é selecionado entre os finalistas do Prêmio Arte Laguna Inaugurou o 21 March 18 horas: 30 (em exibição até 5 Abril) no Arsenal de Veneza. Em seguida, passará para a ilha de Certosa, por ocasião da Bienal de Veneza (9 22 maio a novembro) e do Museu de Nápoles PAN (6 julho-agosto 3 2015), por ocasião da retrospectiva da obra do artista.

O trabalho é constituído por duas partes: por um lado, um cubo de dois metros que consistem em caixas de garrafas de água Maniva 292 1764 contendo um total de 1323 litros de água mineral, por outro lado, a uma curta distância, um tronco contendo industrial galões 55 208 ou litros de água potável.

O trabalho tem como objetivo refletir sobre a importância de um determinado elemento, água, essencial para a sobrevivência humana: o cubo composto da cassete é equivalente ao consumo médio anual de uma família de quatro pessoas na Itália, enquanto o caule contém uma quantidade d ' água igual ao consumo médio anual de uma família de três pessoas na República Democrática do Congo.

O trabalho em questão propõe uma ponderação mais ampla, embora não exclusivamente, sobre certas implicações sociais e políticas: é colocado no fluxo de artista global de produção para a sua utilização de materiais heterogêneos extraído da vida cotidiana que, descontextualizada de suas referências original e depois remontada por uma chave formal e às vezes irônico cuidado, criar sinergias sem precedentes capazes de produzir uma reflexão mais cuidadosa por parte do espectador; um propósito educacional que visa a questionar nossas crenças fundamentais, para melhorar tanto o indivíduo como o pensamento coletivo.

Matteo Peretti nasceu em Roma, em 1975 e depois de estudos clássicos, ele se mudou para os EUA para perseguir uma licenciatura em artes visuais, sob a orientação de John Pearson e Athena Tacha em Oberlin liberal da universidade. Em 1998 tem o primeiro show solo em Nova York, onde trabalhou por um ano sabendo grandes jogadores como Richard Serra e Cindy Sherman. Desde o final de 1999 está em Londres, a capital britânica recebe um mestrado em Belas Artes da prestigiada Central Saint Martins Escola de Arte, tem como colegas artistas de renome internacional de hoje como Raqib Shaw e expôs em várias galerias fazendo dois pessoal e participando na Bienal de Veneza de 2003 em um projeto com curadoria de Angela Vettese. Em 2005 é um membro fundador da GIGA (Grupo Italiano de jovens artistas), um espaço onde expôs e cuidar exposições e eventos que tendem a enriquecer a proposta artística italiana colaborando com os críticos proeminentes como Barbara Martusciello e Gianluca marcianos.

Também recomendamos

responder